Programa ANAFAS - Análise de Faltas Simultâneas

Histórico de Versões

Esta seção do sítio do ANAFAS apresenta as características das últimas versões do programa disponibilizadas:


Versão 5.1 - Março 2009 <topo da página >

  • Novo cálculo de impedância equivalente de sequência positiva entre barras. Permite avaliar a proximidade elétrica entre duas barras quaisquer, considerando ou não a presença dos geradores do sistema;
  • Possibilidade de definir circuitos paralelos com mesmo número, contanto que sejam de tipos diferentes, o que melhora a compatibilidade com o programa Sapre-Anafas;
  • Melhorias na movimentação do cursor na alteração de dados interativa: as teclas de movimentação horizontal passam a deslocar o cursor sem apagar caracteres; as teclas de movimentação vertical deslocam o cursor para a linha superior/inferior e as teclas "home" e "end" levam o cursor para o início ou o fim da linha;
  • Aceita os códigos de alteração "A" (Adição), "R" (Remoção) e "M" (Modificação). Os códigos anteriores continuam válidos (0, 1 e 4);
  • Permite o preenchimento dos campos TB TC para circuitos conectados a barras fictícias (midpoint de transformador). Desta forma, pode-se atribuir com mais exatidão os parâmetros de sequência zero de trafos de 3 enrolamentos, o que também melhora a compatibilidade com o Sapre-Anafas;
  • O arquivo ANAFAS.VBA passa a ser utilizado somente para validar valores de base de tensão de barras que não tenham o campo VBAS preenchido;
  • Melhorias de ordem geral.

Versão 5.0 - Novembro 2008 <topo da página >

  • Representação de Geradores Eólicos Síncronos com Conversor. Em estudos de curto-circuito, estes equipamentos se comportam como fontes de corrente controladas e, portanto, precisam de um tratamento específico. Devem ser fornecidos em um novo bloco de dados (DEOL). As características da modelagem são descritas no Item 2.7 do Manual do Usuário e o formato dos dados de entrada e exemplos no Item 1.1.9 do Apêndice. Arquivo de dados exemplo na pasta "EXEMPLOS\EOLICO E SHUNT DE LINHA";
  • Representação de Shunts de Linha. Passa a ser possível representar reatores shunt individualizados associados a linhas de transmissão mesmo em casos sem carregamento pré-falta, sem necessidade de criar barras adicionais. Sua corrente de curto-circuito é embutida na da linha e, quando um terminal de circuito é aberto, o equipamento permanece junto da LT. Devem ser fornecidos em um novo bloco de dados (DSHL). O formato dos dados de entrada e alguns exemplos podem ser consultados no Item 1.1.8 do Apêndice do Manual do Usuário; Arquivo de dados exemplo na pasta "EXEMPLOS\EOLICO E SHUNT DE LINHA";
  • Inclusão de estado operativo (ligado/desligado) dos elementos do sistema. Um elemento desligado será desconsiderado eletricamente pelo programa durante as simulações, entretanto, seus dados não são perdidos e este pode ser religado a qualquer momento. Para desligar equipamentos, basta fornecer a letra “D” na coluna 7 de cada bloco de dados (barras, circuitos, mútuas, shunts de linha, geradores eólicos e proteções MOV). Maiores informações no Apêndice do Manual do Usuário, itens 1.1.4, 1.1.5, 1.1.6, 1.1.7, 1.1.8 e 1.1.9;
  • Identificador adicional de equipamentos com até 20 caracteres, nas colunas 200 a 219. Maiores informações no Item 1.1.5 do Apêndice;
  • Campos para fornecimento de data de entrada e/ou saída de operação dos elementos do sistema (conforme Itens 1.1.4 e 1.1.5 do Apêndice);
  • Cálculo de equivalentes com opção para deixar apenas um equivalente shunt por barra de fronteira. Supondo que uma barra tenha um ou mais circuitos shunt conectados (geradores, reatores etc), durante o cálculo de equivalentes, caso surja um gerador equivalente na barra, o sistema equivalente poderá conter cada equipamento separadamente (gerador equivalente, geradores reais, reatores de barra etc) ou conter apenas um gerador equivalente representando todo o conjunto (gerador equivalente original + geradores reais + reatores de barra etc). A opção padrão passa a ser a de conter apenas um equivalente, entretanto o usuário será consultado sempre antes de realizar a redução do sistema;
  • Possibilidade de fornecer tipos de circuito (coluna 17 do bloco de dados de circuito) para qualquer circuito (não apenas para trafos como nas versões anteriores) também em casos com formato PECO, permitindo diferenciar equipamentos com características elétricas semelhantes;
  • Atualização do utilitário ANAANA para conversão de Shunts de Linha;
  • Melhorias de ordem geral.

Versão 4.5 - Setembro 2008 <topo da página >

  • Permite fornecer dados de capacidade de interrupção de disjuntores por terminal de circuito, para utilização no Estudo de Superação de Disjuntores. Os dados são preenchidos no bloco de circuitos (37). Continua sendo possível fornecer a menor capacidade de interrupção no bloco de barras (38). Maiores informações no item 4.3 do Manual do Usuário e no arquivo exemplo “BR0712PL_com dados de disjuntores.ANA”, na pasta EXEMPLOS\SUPERACAO DISJUNTORES;
  • Aumento da precisão interna do programa (precisão dupla);
  • Mudança automática de referência angular para o(s) ponto(s) de falta;
  • Bloco de dados para renumeração automática de barras (DREB) em arquivos de alteração, bastando fornecer o número atual de barra e o novo número. Ver item 6.2.2 do Manual do Usuário e exemplo em EXEMPLOS\RENUMERACAO;
  • Mnemônicos de 4 letras para definição de blocos de dados: DBAR, DCIR, DMUT, DPCS, TITU, CMNT e BASE. Os códigos anteriores (38, 37, 39 etc) continuam válidos. Ver item 1.1 do Apêndice do Manual do Usuário;
  • Relatório de elementos (submatrizes de até 6x6) da matriz de impedâncias de barras (Zbarra), para as seqüências positiva, negativa e zero;
  • Menor valor de impedância admissível pelo programa passa a ser 0,00001%. Antes o menor valor era de 0,001%;
  • Fornece relatórios para conjuntos de barras definidos em arquivo. Continua possível definir os conjuntos de barra interativamente;
  • No Relatório de Níveis de Curto-Circuito, passa a informar a base de tensão de todas as barras e destacar com um asterisco barras vizinhas de capacitores série;
  • Nova versão do conversor ANAANA compatível com arquivos de ANAREDE com 5 dígitos e de ANATEM com 5 dígitos;
  • Aumento das dimensões do programa para suportar até 20000 barras, 40000 circuitos e 8000 impedâncias mútuas;
  • Atualização da lista de bases de tensão aceitas pelo programa;
  • Correção do cálculo do Relatório de Modelos de Linhas para Religamento Monopolar;
  • Correções e melhorias de caráter geral.

Versão 4.4 - Junho 2007 <topo da página >

  • Tratamento automático para os erros de matrizes de seq. positiva e zero singulares, tornando desnecessário incluir altas impedâncias nos casos-base com a finalidade de referenciar regiões sem nenhum caminho para a referência;
  • Novas opções no Relatório de Níveis de Curto-Circuito: os níveis passam a poder ser fornecidos em kA ou MVA e pode-se, opcionalmente, filtrar barras fictícias de transformador e/ou barras auxiliares, de maneira a obter apenas resultados de barras de tipo normal, por exemplo.
    Informações na página 12 do MANUAL DO USUÁRIO;
  • Dados de barra passam a incluir a informação de "Sub-área" nas colunas 74 e 75, permitindo associar uma barra a um determinado sub-sistema ou regional de uma empresa, por exemplo.
    Informações na página A6 do Apêndice do MANUAL DO USUÁRIO;
  • Especificação de fim de bloco de dados de barras, circuitos, mútuas e movs usando a letra "F", além dos códigos atuais "99999" e "9999". Exemplo na página A7 do Apêndice do MANUAL DO USUÁRIO;
  • Opções para o arquivo XML gerado pelo ANAFAS, utilizado pela FormCepel:
    a) Dados de Estudo de Superação de Disjuntores: Permite transferir para a FormCepel resultados de um Estudo de Superação de Disjuntores,
    b) Dados de Relatório Monopolar: Transfere dados de Relatório de Abertura Monopolar para a FormCepel,
    Adicionalmente, o arquivo XML gerado passa a ser compactado, reduzindo o espaço ocupado em disco.
    Informações na página 49 do MANUAL DO USUÁRIO;
  • O arquivo de comandos para o modo "Batch" (execução do programa via script automático de comandos) passa a poder ter qualquer nome e estar em qualquer pasta. Antes era possível executar apenas o arquivo ANAFAS.INP, na pasta onde o Anafas estivesse instalado.
    Informações na página 2-1 do Manual de Processamento "Batch";
  • Passa a reatância de circuitos com impedância menor que 0.001% para este valor. O objetivo é evitar perda de precisão em determinadas situações de curto. Informações na página A9 do Apêndice do MANUAL DO USUÁRIO;
  • Melhorias no cálculo de equivalentes de maneira a:
    a) Sempre preservar circuitos equivalentes ligados à referência,
    b) Determinar com maior precisão áreas a serem mantidas para não partir grupos com acoplamento de seq. zero,
    c) Solucionar erros relacionados a TB TC.
  • Modificações para tornar mais robusta a alteração de circuitos com TB TC preenchido. Um dos efeitos é que, na alteração de dados, quando o ramo série de um transformador for removido, se houver ramo shunt associado por TB TC, este também será removido (ver página A10 do Apêndice do MANUAL DO USUÁRIO);
  • Nova versão do utilitário ANAANA para conversão de arquivos do ANAREDE com 5 dígitos e do ANATEM com 4 dígitos;
  • Correção de erro que esporadicamente trocava números digitados por letras;
  • Atualização das bases de tensão válidas (arquivo ANAFAS.VBA);
  • Diversas correções e melhorias de caráter geral.

Versão 4.3 - Abril 2006 <topo da página >

  • Aceita barras com numeração de 5 dígitos e áreas com 3 dígitos. Arquivos antigos continuam sendo lidos sem necessidade de adaptações, pois foram utilizadas colunas no arquivo de entrada que estavam disponíveis.
    Para maiores informações, consultar a página A5 do Apêndice do Manual do Usuário e o arquivo exemplo com a nova formatação na pasta "EXEMPLOS\BARRAS 5 DIGITOS e TBTC".
  • Aceita o preenchimento do campo TB TC também em casos com formato PECO (sem carregamento pré-falta), o que permite uma representação mais adequada de transformadores do tipo delta-estrela de dois enrolamentos sem barra mid-point, evitando que o ramo para a terra seja confundido com um reator de barra e fornecendo corretamente a corrente de contribuição, tendo em vista que a corrente de seqüência zero do ramo "shunt" passa a ser somada automaticamente ao ramo série. O Relatório de Transformadores passa a informar o TB TC de trafos shunt.
    Para maiores informações, consultar a página A9 do Apêndice do Manual do Usuário e o mesmo arquivo exemplo citado no item acima, que contém também um trafo delta-estrela representado com o campo TB TC.
  • Permite que se selecione e copie para o "clipboard" do Windows trechos de telas do ANAFAS, utilizando a nova barra de tarefas na parte superior da tela do programa.
  • Para maiores informações, consultar a página 50 do Manual do Usuário.
  • Interpreta adequadamente teclas direcionais (direita / esquerda / cima / baixo) nas telas de abertura de arquivos e seleção de barras, evitando a ocorrência de erros.
  • Na seleção de arquivos de dados, passa a ser utilizado o filtro ".ANA .DAT .ANF", facilitando a visualização de todas as bases que se encontrem em uma determinada pasta.
  • Passa a explicitar a possibilidade de seleção de barras por nome nos relatórios de dados e na especificação de conjuntos de barras, através da letra "X".
  • Correção da posição do cabeçalho de número de área na alteração interativa de dados de barras.
  • O nível de curto em barra, na segunda etapa do Estudo de Superação de Disjuntores, passa a ser informado com duas casas decimais.
  • Pequenas correções e melhorias de caráter geral.

Versão 4.2 - Outubro 2005 <topo da página >

  • Um novo estudo, chamado "Estudo de Superação de Disjuntores", que permite detectar disjuntores que tenham suas capacidades de interrupção superadas, ou que estejam próximos de tê-las superadas. Em linhas gerais, o estudo faz uma varredura inicial no conjunto de barras fornecido pelo usuário, comparando o nível de curto de cada uma com seu disjuntor de menor capacidade de interrupção. Assim, são encontradas regiões com possíveis problemas de superação. Em seguida, nestas regiões suspeitas, o ANAFAS executa nova análise, considerando agora as contribuições nos circuitos. Para isto, simula faltas monofásicas e trifásicas, em três situações, detectando as ocorrências mais severas:
    a) Curto-circuito na barra.
    b) Curto-circuito na saída da linha.
    c) Curto-circuito na saída da linha com a outra extremidade do circuito aberta.
    Os procedimentos adotados neste estudo são aqueles definidos no relatório "Estudos de Curto-Circuito - Período 2004-2007", elaborado e distribuído pelo ONS. Pode-se ver exemplos para este estudo (caso-base, relatório de saída etc) na pasta "Exemplos\SUPERACAO DISJUNTORES", instalada com o ANAFAS.
    Instruções para efetuar um Estudo de Superação de Disjuntores de maneira rápida se encontram no capítulo 13 do MANUAL TUTORIAL, na pasta "Manuais".
    Todas as características do estudo e o significado de cada informação impressa no relatório de saída são descritas no item 4.3 do MANUAL DO USUÁRIO.
  • Informa, no Relatório de Impedâncias de Barra, o valor do Reator de Curto equivalente, auxiliando na simulação de faltas monofásicas no ANATEM. Este reator tem impedância igual a Z0 + Z2 (impedância equivalente de sequência zero + impedância equivalente de sequência negativa), e pode ser calculado em Admitância(%) ou Impedância(%), em componentes retangulares ou polares.
  • Um arquivo exemplo de Relatório de Impedâncias de Barra com cálculo de Reator de Curto pode ser visto na pasta "Exemplos\REATOR DE CURTO".
    Um exemplo de cálculo de Reator de Curto passo a passo pode ser visto no Capítulo 14 do MANUAL TUTORIAL (Pasta "Manuais").
    As características do cálculo podem ser consultadas no item 2.6 do MANUAL DO USUÁRIO.
    OBS: Quando a base de potência do sistema vale 100MVA, o que é usual, o valor do reator em Admt.(%) é igual ao valor em MVA. Logo, o valor do reator em MVAr é igual ao "B(%)" fornecido pelo programa.

  • Opção de gerar saídas sem repetição de cabeçalhos (o cabeçalho passa a ser impresso apenas uma vez). Isto vale para quase todas as saídas em arquivo do programa (relatórios em arquivo, estudo individual em arquivo, estudos macro etc). As opções de relatório disponíveis agora são:
    a) 60 => um cabeçalho a cada 60 linhas do arquivo.
    b) 100 => um cabeçalho a cada 100 linhas do arquivo.
    c) Sem paginação => apenas um cabeçalho, no início do arquivo.
    ESTA OPÇÃO PASSA A SER DEFAULT A PARTIR DESTA VERSÃO (os relatórios de saída serão sem repetição de cabeçalhos, a menos que o usuário altere esta configuração no ANAFAS. A opção selecionada pelo usuário, 60, 100 ou "sem cabeçalhos", será memorizada pelo programa).
  • Opção de eliminar blocos referentes a barras fictícias dos relatórios de saída de estudos individuais em arquivo ou macro, que normalmente são desnecessários.
  • ESTA OPÇÃO PASSA A SER DEFAULT A PARTIR DESTA VERSÃO (os relatórios de saída não terão blocos referentes a barras fictícias, a menos que o usuário altere esta configuração no ANAFAS. Novamente, a opção selecionada pelo usuário, "sim" ou "não", será memorizada pelo programa).

  • Detecta vizinhanças de cada barra de maneira mais adequada, saltando barras fictícias de transformadores e outras barras auxiliares como as que representam acoplamento mútuo entre trechos de linhas, permitindo que se alcancem todas as barras próximas com apenas algumas vizinhanças.
  • Permite gravar casos que originalmente tinham formato PECO (sem carregamento pré-falta) em formato ANAFAS (com carregamento pré-falta) e vice-versa.
  • Quando se grava um caso que tinha formato PECO usando o formato ANAFAS, o programa preenche automaticamente os tipos dos circuitos e as demais informações necessárias (em termos elétricos, a rede fica idêntica à original).
    Quando se grava um caso que tinha formato ANAFAS para o formato PECO, todas as ligações para a terra na sequência positiva, exceto as de geradores, passam a ter valor infinito, e todas as barras passam a ter tensão pré-falta igual a 1/0 pu, entre outras alterações (ou seja, a rede resultante não é eletricamente idêntica à original).

  • O tamanho dos arquivos históricos criados foi ampliado para 27500kb, permitindo que se armazene uma quantidade maior de casos em um mesmo arquivo. Históricos gerados em versões anteriores do programa podem ser lidos sem problema.
  • OBS: O ANAFAS não lê arquivos históricos do programa ANAREDE, apenas históricos gerados pelo ANAFAS.

  • Correções e pequenas melhorias de ordem geral.

Versão 4.1 - Março 2005 <topo da página >

  • Gera relatorio de Modelos de Linha para Religamento Monopolar, calculando impedancias equivalentes de sequencia positiva para cinco situacoes de abertura, permitindo posterior simulacao em programas de estabilidade como o ANATEM (ver item 2.6 do Manual do Usuario, item 12 do Manual Tutorial e exemplo de relatorio na pasta "Exemplos" do programa para maiores informacoes).
  • Permite representar Shunts de Linha (bloco 35), cujas correntes sao incorporadas a corrente do circuito (da mesma forma que ocorre com o line-charging). Estes equipamentos passam a ser melhor representados na simulacao de contingencias automaticas (reatores shunt sao removidos juntamente com a linha, por exemplo). Na pasta "Exemplos" encontra-se um caso-base com dados de shunts preenchidos
  • A janela de selecao de arquivos (tecla F4) passa a ser direcionada a pasta default de cada tipo de arquivo, guardando separadamente a pasta do ultimo caso-base selecionado, do ultimo arquivo de pontos de falta etc, o que e' especialmente util no sistema operacional Windows 98®
  • O VISUANA passa a ser instalado (e desinstalado) juntamente com o ANAFAS, na pasta "Programas Utilitarios". Este utilitario auxilia na visualizacao dos resultados gerados pelo ANAFAS. Pode-se consultar seu "Guia Rapido de Uso" para obter informacoes sobre a execucao de suas funcoes basicas
  • Diversas correcoes e pequenas melhorias de ordem geral.

Versão 4.0.a - Janeiro 2005 <topo da página >

  • Aumento da capacidade do programa (9998 barras, 16000 circuitos, 8000 transformadores, 3200 geradores, 3200 impedancias mutuas), permitindo uma melhor representacao dos componentes denominados como Demais Instalacoes da Transmissao (conforme orientacao das Resolucoes 67 e 68 da ANEEL, de 08/06/2004).
  • Algumas pequenas correções.

Versão 4.0 - Dezembro 2004 <topo da página >

  • Dispensa modificacoes nos arquivos "CONFIG.SYS" e "CONFIG.NT".
  • Maior velocidade na execução.
  • Permite abrir e salvar arquivos através de uma janela em padrão Windows® (a digitação do nome do arquivo da forma feita no MS-DOS® passa a ser opcional).
  • É compatível com o programa FormCEPEL®.
  • Mostra na parte superior da tela o nome do caso-base carregado na memória.
  • Permite abrir e salvar arquivos com nomes de até 255 caracteres, com ou sem espaços (o limite anterior era de 8 caracteres, não podendo haver espaços em branco).
  • Diversas correções e pequenas melhorias de ordem geral.
  • Em contrapartida, as seguintes características precisaram ser desativadas e podem ou não vir a ser recuperadas em versões futuras:

    Mudança do número de linhas por tela (inclusive tela cheia, "full screen").

    Arraste de arquivos (arrastar um arquivo qualquer para a tela do programa, fazendo aparecer automaticamente o caminho completo, por exemplo "c:\anafas\br0212.ana". Esta versão não preenche o caminho de arquivos arrastados, deficiência que é compensada pela nova janela de abertura de arquivos, ativada pela tecla F4).

Versão 3.4 - Outubro 2004 <topo da página >

  • Aumento da capacidade do programa (5000 barras, 10000 circuitos).
  • Modelagem das proteções MOV de capacitores série no algoritmo de solução de faltas.
  • Compatibilidade com os sistemas operacionais Windows® NT, Windows® 2000 e Windows® XP.
  • Instalador no padrão Windows® (Setup.exe).
  • Diversas correções e pequenas melhorias de ordem geral.
Departamento de Redes Elétricas - Atendimento de segunda a sexta das 8h às 16:30h
Tel: 21 2598 6235 Fax: 21 2598 6451 e-mail:dre@cepel.br - Copyright © 2006 Cepel